Nova lei: oferta gratuita de agua filtrada em estabelecimentos comerciais

10/setembro
Segurança Alimentar

Publicado hoje no Diário oficial do município de São Paulo, a Lei 17.453, que entra em vigor a partir do dia 10/09/2021, orientando os estabelecimentos de bares, restaurantes hotéis e afins, a oferecer água filtrada gratuita aos clientes, com multa de R$ 1.000,00 a R$ 8.000,00 em caso de desacordo.

Publicado hoje no Diário oficial do município de São Paulo, a Lei 17.453, que entra em vigor a partir do dia 10/09/2021, orientando os estabelecimentos de Bares, restaurantes hotéis e afins, a oferecer água filtrada gratuita aos clientes, com multa de R$ 1.000,00 a R$ 8.000,00 em caso de desacordo.

Segue na íntegra a publicação:

LEI Nº 17.453, DE 9 DE SETEMBRO DE 2020 (PROJETO DE LEI Nº 450/15)

Dispõe sobre a oferta gratuita de Água da Casa nos estabelecimentos comerciais que especifica.

BRUNO COVAS, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 12 de agosto de 2020, decretou e eu promulgo a seguinte lei:

Art. 1º Os bares, hotéis, restaurantes, lanchonetes, padarias, cafeterias e estabelecimentos congêneres que comercializam água engarrafada na Cidade de São Paulo ficam obrigados a servirem Água da Casa a seus clientes, sempre que esta for solicitada, de forma gratuita.

Art. 2º Para os efeitos desta Lei, considera-se Água da Casa a água de composição normal, proveniente de fontes naturais ou artificialmente captadas, que tenha passado por dispositivo filtrante no estabelecimento onde é servida e que se enquadre nos parâmetros federais de potabilidade para o consumo humano.

Art. 3º A Água da Casa será incluída no cardápio dos estabelecimentos, de modo visível, informando os consumidores sobre sua oferta.

Art. 4º A infração às disposições desta Lei acarretará as seguintes penalidades: I – na primeira autuação, advertência e intimação para cessar a irregularidade; II – na segunda autuação, multa no valor de R$ 1.000,00 (mil reais), com nova intimação para cessar a irregularidade;
III – na terceira autuação, multa no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais), com nova intimação para cessar a irregularidade;
IV – na quarta autuação, multa no valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), com nova intimação para cessar a irregularidade;
V – na quinta autuação e nas seguintes, multa no valor de R$ 8.000,00 (oito mil reais).
§ 1º Em qualquer caso, será garantida a ampla defesa aos acusados da infração, antes da imposição definitiva da multa.
§ 2º A multa de que trata este artigo será atualizada anualmente pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, apurado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, do ano anterior, sendo adotado o índice oficial que o suceder, no caso da extinção deste índice.

Art. 5º As despesas decorrentes da execução desta Lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.

Art. 6º Esta Lei entra em vigor no prazo de 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias, contados a partir de sua publicação.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 9 de setembro de 2020, 467º da fundação de São Paulo. BRUNO COVAS, PREFEITO

Saiba mais e tenha tua operação acompanhada constantemente por profissionais nutricionistas capacitados e com a correta orientação quanto a normas e processos de Vigilância Sanitária. Tenha os POPs, o Manual de Boas práticas, as planilhas e treinamentos atualizados.

A Controlare Assessoria em Segurança Alimentar atua a 12 anos com o objetivo de auxiliar os estabelecimentos a estarem adequados às normas de Vigilância Sanitária em âmbito nacional.

Entre em contato e saiba mais.

controlare@controlare.com.br
11 99633 5998 (whatsapp)
11 3828-2400