A importância da Segurança Alimentar

26/setembro
Segurança Alimentar

Aqueles que trabalham com a comercialização de alimentos entendem a importância de garantir que eles sejam de qualidade e que atendam as necessidades nutricionais dos seus consumidores.

A importância da Segurança Alimentar

Entretanto, a segurança alimentar é um conjunto de práticas, geralmente desenvolvidas por nutricionistas, que tem a intenção de assegurar as pessoas quanto a uma alimentação adequada.

Além disso, muitas pessoas confundem a segurança dos alimentos com a segurança alimentar. Apesar de estes conceitos estarem ligados um ao outro, apresentam realidades distintas.

Neste artigo, vamos explicar a importância da segurança alimentar e qual a diferença entre os conceitos citados acima. Continue lendo para entender!


Afinal, qual a diferença entre segurança dos alimentos e segurança alimentar?

A segurança dos alimentos está conectada as práticas que visam assegurar que os alimentos não ofereçam nenhum risco de contaminação aos seus consumidores. Aliás, pode ser aplicada em residências até níveis industriais.

Além disso, esse termo diz respeito à medida que permite o controle de todos os agentes que possam vir a colocar em risco a saúde de seus consumidores. É importante disseminar a cultura da segurança dos alimentos assim como a de segurança alimentar, pois, ambas afetam a vida em coletividade.

Entretanto, a segurança alimentar tem relação com políticas públicas que visam garantir a qualidade nutricional à população.


Qual o conceito de segurança alimentar?

A segurança alimentar pode ser definida como um grupo de regras de produção, transporte, armazenamento de alimentos seguindo determinadas normas já estabelecidas como questões microbiológicas e sensoriais determinando quais os alimentos são adequados para o consumo.

A segurança alimentar também define que todo ser humano, independentemente de região, raça, religião ou sexo, deve ter acesso a alimentos saudáveis e nutritivos.


Qual o conceito de insegurança alimentar?

São diversos aspectos que podem levar uma sociedade ao estado de insegurança alimentar. Alguns que podemos citar são: mudanças climáticas, aumento da população, conflitos políticos e perda de terras agrícolas.

Quando acontece uma crise dos alimentos, como a que ocorreu entre 2007 e 2008, houve uma alta nos preços de diversos produtos, como, por exemplo, o milho e o trigo, e como consequência acabou fazendo com que muitos países restringissem o consumo e exportação de certos bens.

Assim sendo, aumentou os índices de fome, miséria e subnutrição em diversas regiões.


Qual a origem da segurança alimentar?

Este termo surgiu na Europa logo após o fim da Primeira Guerra Mundial.  Com o conflito foi possível perceber que um país poderia dominar o outro desde que ele tivesse poder sobre o controle de seu abastecimento de alimentos.

Além disso, fazer esse controle foi uma estratégia importante, especialmente quando fosse aplicado por uma região mais potente em relação a uma com menos potencial e que era incapaz de produzir quantidades de alimentos necessárias para alimentar toda a sua população.

Sendo assim, o nome “segurança alimentar” tem uma origem militar porque era uma questão de segurança nacional onde cada região precisaria ser capaz de produzir os seus próprios alimentos ou pelo menos ter estoques suficientes.

Já durante a Segunda Guerra Mundial os problemas retornaram e quando o conflito terminou, foi criado a FAO, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura.

Contudo, em 1948 a alimentação passou a ser reconhecida com um direito básico dos seres humanos.


Qual o objetivo da segurança alimentar?

O seu objetivo tem bastante relação com o seu conceito. No Brasil propõe assegurar a todos os indivíduos alimentos básicos de qualidade, em quantidades satisfatórias permanentemente e sem afetar o acesso a outras necessidades fundamentais com relação às práticas alimentares saudáveis.

Sendo assim, o objetivo é ainda contribuir para uma vivência digna para um desenvolvimento absoluto do indivíduo.

Contudo, além da disponibilidade, ainda é necessário que todos os cidadãos tenham acesso aos alimentos, o que é um item essencial para a segurança alimentar.


Qual a importância da segurança alimentar e nutricional?

Diversos países, inclusive o Brasil, diminuiu bastante o número de pessoas em situação de insegurança alimentar. Mas, por outro lado, alguns países africanos e asiáticos ainda se encontram em situação de perigo.

A grave insegurança alimentar se instala principalmente em regiões de conflito militar ou com fortes alterações climáticas. Infelizmente, a fome ainda prejudica diversas famílias com problemas sociais.

Contudo, não se pode negar a importância da segurança alimentar porque através dela, milhões de pessoas foram tiradas da fome e até mesmo da pobreza extrema.

O objetivo é fazer com que a fome seja extinta definitivamente, porém, diversos fatores precisam ser considerados, inclusive como o alimento está chegando até essas pessoas.


Como cuidar da integridade dos alimentos?

Em relação à produção das refeições em geral, diversos são os aspectos legais e de ordem técnica que garantem que os alimentos sejam apropriados para o consumo e que não causa problemas de saúde para aqueles que o consomem.

Antes de qualquer coisa, é necessário cumprir o que está definido no Manual de Boas Práticas e dos Procedimentos Operacionais Padronizados. Nestes dois documentos estão descritos a forma correta de produzir alimentos de forma segura para o consumo.


Quais são os veículos de contaminação de um alimento?

São muitos os agentes geradores de doença nas pessoas quando alguns procedimentos são realizados de forma inadequada. Por exemplo: sanitização, pré-preparo, distribuição e até mesmo a escolha do fornecedor.

A contaminação pode ocorrer por conta de produtos químicos, toxinas naturais de plantas e animais e também fungos patogênicos. Já algumas das bactérias mais comuns são a salmonela ssp. e bacillus cereus.

São mais de 200 tipos de DTA e a sua maioria está ligada as bactérias e suas toxinas, vírus e parasitas. Outros casos são envenenamentos causados por toxinas naturais como as das algas e dos peixes.


A importância da recepção e armazenamento dos alimentos

Este processo é um dos mais importantes porque é ali que se inicia a segurança alimentar. Assim sendo, é importante observar informações como a data de validade e a integridade da embalagem, pois, pode ser a principal entrada de fungos nos alimentos.

Aliás, diversos fungos produzem micotoxinas que acabam contaminando os alimentos e provocam danos a saúde das pessoas. Neste caso, o lote precisa ser descartado imediatamente.

A melhor maneira de evitar a ocorrência deste tipo de problema é se atentando ao planejamento das compras.

Entretanto, o monitoramento da quantidade de alimento assim como o tempo e a temperatura, são fundamentais para garantir a sua integridade.


Como deve ser feito o controle de sanidade dos equipamentos e utensílios?

Essa é mais uma forma de garantir a segurança alimentar. É extremamente importante que os processos estejam alinhados fazendo com que o produto final seja aceitável.

Assim sendo, é fundamental que os utensílios e equipamentos estejam em plenas condições de uso. Eles precisam estar higienizados com o produto correto e protegidos de contaminações físicas como é o caso da poeira, por exemplo.

Entretanto, contar com um POP (Procedimento Operacional Padrão) é uma obrigação e é necessário realizá-lo de acordo com a descrição para cada tipo de equipamento, utensílio e até mesmo o ambiente.


Como deve ser feito o controle de higiene dos manipuladores?

A falta de higiene pelos manipuladores é uma das principais formas de contaminação especialmente pela maneira errada de lavar as mãos ou pelo fato de lavá-las em quantidades insuficientes durante a sua jornada de trabalho.

É importantíssimo também o zelo pela saúde física do manipulador. Aqueles que apresentam ferimentos precisam cobri-los adequadamente e devem evitar trabalhar em caso de gripe, diarreia, vômitos ou qualquer outra razão que possa de alguma maneira contaminar os alimentos que ele produz.


As vantagens trazidas aos negócios que seguem a risca a segurança alimentar

São diversos benefícios que uma empresa adquire ao seguir corretamente os procedimentos de segurança alimentar. Cuidar da integridade dos alimentos é fundamental para garantir o sucesso do negócio. Abaixo, confira algumas vantagens:

  • Redução do desperdício de alimentos

Não só evita o desperdício de alimentos, mas também garante que a empresa tenha menos prejuízos ao seguir as práticas de segurança alimentar.

O empresário ou o responsável por realizar a compra dos materiais terão muito mais cuidado ao adquirir as mercadorias necessárias ao optar pela quantidade certa em determinados períodos.

Além disso, devido à quantidade menor de mercadorias, será muito mais fácil se preocupar com o armazenamento e se atentar aos prazos de validade.

Dessa forma, haverá a redução do descarte de mercadorias que não poderão se consumidos por conta de uma data de validade vencida, por exemplo, e assim evitará o desperdício do dinheiro investido na compra desses produtos.

  • Cumprimento da lei

É superimportante que as empresas estejam cumprindo as regras da legislação. Os profissionais que trabalham diretamente com a manipulação e produção dos alimentos precisam ter total conhecimento em relação às práticas de higienização dos alimentos e a manutenção do espaço onde os produtos são preparados.

E claro, a higiene pessoal também é fundamental. Sendo assim, os riscos de contaminação em geral são reduzidos e a empresa estará atuando conforme a legislação requer.

  • Entrega de produtos com qualidade

Um dos profissionais mais importantes para garantir a segurança alimentar nas empresas é o nutricionista. Afinal, ele tem o conhecimento necessário para garantir a integridade dos alimentos em diferentes tipos de negócio.

Além do mais, é importante que o nutricionista desenvolva regras e práticas que possam garantir a manipulação correta dos produtos e também ter a certeza de que os alimentos estejam seguros para serem consumidos.

Ao contar com o nutricionista, a empresa estará mais segura no que regras são seguidas de acordo com o que manda a legislação e o manual de Boas Práticas.

Dessa forma, a empresa correrá menos riscos em oferecer produtos que estejam fora do padrão de qualidade exigido. Aliás, não importa o tamanho da empresa, seja ela de pequeno ou grande porte, é fundamental contar com este profissional para garantir a integridade dos alimentos em todo o processo de produção.

  • Elevação dos valores nutritivos dos pratos

A segurança alimentar tem tudo a ver com a conservação dos nutrientes nos alimentos produzidos. Contudo, garantir os nutrientes têm relação com o tempo de cozimento, volume e também a temperatura da água utilizada. Entretanto, isso também tem bastante relação com a experiência dos cozinheiros.

Ofereça treinamentos indicados aos cozinheiros para que eles possam cozinhar sempre tentando ao máximo conservar os nutrientes.

  • Aperfeiçoamento da produção

As empresas que fazem um planejamento em segurança alimentar produzem bem mais e claro, melhor.

Aliás, pelo fato da segurança alimentar englobar diversos processos como a recepção das mercadorias e a armazenagem, é importante que este controle seja realizado adequadamente para evitar ações que possam comprometer a produtividade da equipe.


Quais os riscos de uma empresa em não cumprir as regras de segurança alimentar?

As empresas que não se aplicam as normas de segurança alimentar correm sérios riscos financeiros, como perda de matéria-prima e jurídicos, ao descumprir a legislação. Sem contar com o prejuízo em um fator bastante importante, a sua imagem.

Para que problemas não ocorram, é importante investir em treinamentos, aquisição de equipamentos adequados e realizar as suas manutenções periodicamente.

Em vista dos argumentos apresentados percebe-se a importância da segurança alimentar e a diferença que ela proporciona nas empresas que a seguem. Pelo fato de esse ser um mercado bastante competitivo, é fundamental cumprir todas as suas regras.

Além disso, a segurança alimentar é um diferencial para as empresas deste ramo e pode provocar um impacto bastante significativo nos resultados de um negócio.